O QUE É O HUMANAR?

O Humanar é um escritório de arte dedicado a projetos de arte contemporânea que desafiam as definições convencionais do que é arte, como ela se relaciona com o público, como um artista surge e transcende fronteiras com o ativismo, a cultura popular e outros segmentos.

O QUE É HUMANAR?

Humanar é humanizar, é vivenciar uma experiência em arte  construída com o fim de humanizar o participante com novas perspectivas sociais e culturais.

QUEM É O PÚBLICO DO  HUMANAR?

O visitante do Humanar é diferente dos outros. Se ele não era diferente, ele se torna depois de passar por lá.

QUEM NÃO É O PÚBLICO DO HUMANAR?

Os humanoides. Quem não frequenta o Humanar não coleciona experiências, não se humaniza, vira humanoide. Quem frequenta, se humaniza, e promove a humanização (tão rara hoje em dia…). Quem frequenta não participa da tendência de diluição das qualidades humanas. Quem frequenta nutre.

O programa de exposições do Humanar é viabilizado por um programa de parcerias entre artistas e colecionadores mediado pelo escritório. Seis a oito propostas de artistas e parceiros da direção do espaço são realizados a cada ano.

O programa da ênfase a projetos que promovam maior integração entre artista e público, potencializem a criatividade dos visitantes, e aborde temas de inclusão social, cultura e gênero, e não se limitem ao espaço expositivo.

Caminhos velozes traçam linhas paralelas por toda parte. Pessoas se olham sabendo que nunca mais vão se ver. Pessoas se deixam para nunca mais. Pessoas que faziam parte da sua vida hoje correm em outros caminhos. Vão se encontrar com você no infinito? Talvez em outra dimensão? As linhas transversais trazem outras pessoas, outras situações, outras formas. Aquelas se foram. Essas outras reorganizam o seu mundo. Você precisa reaprender o básico. As formas que compõem a sua natureza: ar, fogo, água e terra, triângulos, círculos e quadrados. Ou, em três dimensões: pirâmides, esferas e cubos, respiração, instinto, sentimento e razão. Agora sim, em meio ao caos, você consegue se situar.
Nada foi intencional. Nem totalmente consciente. As linhas se distanciam e os destinos também. O amor acabou? Não. Apenas mudou. E você ficou ali, se reorganizando, ar, fogo, água, terra. Tentando entender as grandes questões: as decisões apressadas, as injustiças, a falta de lógica e a política desvairada. Você precisa da sobriedade, do essencial, das criações humanas básicas, da matemática e da geometria. Do espaço e do tempo. Da ciência e da arte.
E assim, aquelas linhas soltas vão se agrupando, paralelas e transversais se organizam em figuras simples que pertencem a todos, que todos entendem porque foram criadas há muito tempo para organizar a vida e o mundo.
 
Quintas e sextas 14h – 20h / sábados e domingos 11h – 18h.
11 3807-1434 ou 11 3047-3047/ Rua Brigadeiro Galvão 996 / contato: rbf@humanar.art.br

VISITAÇÃO

Aguardando novos eventos

COMO CHEGAR

Metrô: Descer na estação Barra Funda
do Metro, linha Leste / Oeste.
Sair pela saída Avenida Francisco Matarazzo.
Caminhar a esquerda depois da saída ao longo do
Memorial da América Latina com as indicações do mapa.

2016 © Humanar.
Todos os direitos reservados.

Imagens de obras, autores e artistas utilizadas como divulgação.
Os direitos autorais de quaisquer obras ou pessoas
aqui representadas são respectivos aos mesmos.

Desenvolvido por wearesquare.